terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Guadalupeças



Todo terceiro domingo de cada mês acontece o nosso querido Guadalupeças. Nesta edição, por ser mês de Carnaval, convidamos o game designer Leandro Pires para apresentar o protótipo do seu novo jogo para a galera. Em Ziriguidum, os jogadores administram escolas de samba. Ele tem um esquema de mercado que lembra bastante o Rock N Roll Manager, mas ao invés de instrumentos temos os itens que compõem em um desfile. As guitarras e baterias cedem espaço para fantasias e enredos. A pontuação básica do jogo é realizada através de duplas formadas por esses tiles que precisam ter uma das cores da bandeira da escola de samba do jogador. 



Achei essa semelhança com o Rock N Roll Manager um ponto positivo, pois ajuda na familiarização com o jogo. Porém, qualquer comparação para por aí, Ziriguidum possui uma identidade própria, passando bem longe de ser apenas uma troca de skin. O clássico Work Placement dá lugar a um sistema de administração e seleção de cartas que utiliza um tipo de draft parecido com o do Notre Dame. O jogador escolhe uma carta para si, outra para descartar e distribui as demais para os jogadores ao seu lado. Isso aumenta ainda mais a tensão já normalmente causada pelo draft, pois é preciso manter uma atenção muito grande em tudo que está sendo feito na partida. Além, é claro, que proporcionar um fator interação significativo. 

Eu já tinha tido a oportunidade de jogar o Ziriguidum no finalzinho do ano passado.. Ele já está em desenvolvimento há bastante tempo. Acho que praticamente desde que conheci o Rock N Roll Manager que ouço comentários de sua existência. O Leandro é um game designer que testa muito suas criações antes de lançar, o que faz com que ele coloque no mercado jogos bem equilibrados. Acredito que o Ziriguidum ainda vai passar por muitos testes antes de chegar ser lançado. Além disso, o Leandro já está com outro jogo quase saindo, o Tsukiji pela Redbox Editora. Porém, isso é papo para outro post.

Eu esperava que esta fosse ser a mais carioca de todas as edições do Guadalupeças, pois teríamos a presença do game designer Rodrigo Rego com o Maracanã, um de seus jogos mais recentes em desenvolvimento. Ele é uma disputa entre torcidas para ver qual será a melhor através bandeirões, fogos, cânticos, etc. Porque é a torcida que empurra o time. O Rodrigo já tinha vindo em uma edição anterior do evento para mostrar o Copacabana, jogo que já está com contrato assinado para sair pela Redbox Editora também. Acho muito bacana o trabalho dele com temática nacional, fora que a seleção e combinação de mecânicas de seus jogos são sempre muito elegantes. Infelizmente, o Rodrigo acabou não podendo nos prestigiar com a sua presença. Aguardemos uma próxima oportunidade. 


Além da presença do Leandro com Ziriguidum, tivemos também o Swami com o Triax, o Sanderson com o La Muerte e os meninos do Alpha, que apareceram de surpresa. O Triax é um cardgame abstrato bem bacana. Ele ficou em primeiro lugar no evento de Novos Designers promovido no início do mês pela loja Game Of Boards em parceria com o canal After Match, deixando para trás vários concorrentes de peso. Já o La Murte é um party game muito divertido, eu gostei muito da temática puxada para um "humor negro". Ele está sendo lançado pela Hod Studio e está em plena campanha de financiamento coletivo. Por último, mas não menos importante, o Alpha que eu vi pela primeira vez lá no evento de Novos Designers. Ainda não joguei, mas estou bem curiosa, pois é mais um na onda de jogos de luta.




Nesta edição do Guadalupeças, eu joguei pouco, mas joguei muito bem. Finalmente, tive a oportunidade de experimentar Tavarua, um inusitado jogo sobre Surf. Maravilhoso trabalho de design, todas as mecânicas muito bem amarradas ao tema. Além disso, o trabalho de arte é magnífico. As ações do jogo são realizadas através de cartas que são jogadas simultaneamente. 


Existem duas situações básicas: nadar em direção a onda ou estar surfando sobre ela. Quando o jogador está nadando, a numeração determina o seu deslocamento na água. Porém, quando ele já está sobre a onda, o valor informado na carta irá controlar seu movimento sobre a prancha. Isso foi uma sacada muito legal. Se o jogador mover um número de espaço maior que o disponível na prancha, ele desequilibra e cai na água perdendo a maior parte dos pontos acumulados. 

Além da carta do jogador, existe também uma carta de movimentação da própria onda. Então, o jogador deve evitar cartas que o coloquem em uma situação muito apertada, é preciso deixar uma margem de segurança. A carta da onda informa em seu verso as possibilidades, para o jogador ter como se preparar. As ondas são tiles sobre o tabuleiro e todo final de turno o mais abaixo para cima. Cada tile de onda é acompanhado por um dado. Para entrar na onda, é necessário que o valor do dado seja maior ou igual a posição que ele ocupa no tabuleiro. Se for igual, o jogador recebe um bônus por ter conseguido uma onda perfeita.


Existem dois tipos de prancha no jogo: longboard e shortboard, cada uma com suas características específicas. Os jogadores são obrigados a jogar com ambas, pois o resultado final será a soma da melhor pontuação com cada uma dessas pranchas. O jogo termina quando acabam as cartas de onda. Isso faz com que ele tenha uma duração bem variável, vai depender muito das ações dos próprios jogadores. Porém, não é aquele tipo de jogo que termina de repente. O andamento é claro, então dá para fazer um bom planejamento.

A partida que eu joguei me pareceu um pouco longa demais para a proposta do jogo, apesar de oferecer algum potencial estratégico, ele possui uma complexidade baixa. Isso sem contar com o Press Your Luck bastante presente. O que é bastante temático também, afinal de contas o mar é bem imprevisível. Mas eu acho que demorou também porque era uma mesa com 5 novatos. Acredito que jogando com todo mundo já conhecendo as regras, ele deva rodar mais rápido. Estou bem ansiosa para jogá-lo novamente. Espero ter a oportunidade de fazer um post completo ou um vídeo sobre ele.

Confira mais alguns jogos que rolaram nesta edição do Guadalupeças:




Obrigada pela presença de todos em mais um Guadalupeças, espero revê-los no mês que vem. Quero agradecer também ao pessoal do Nerd Quest que compareceu ao evento pela primeira vez e escreveu uma matéria bem bacana sobre a gente, com direito a entrevista. Eles são um site que cobre eventos nerds no RJ. Não sabe o que fazer, para onde ir, dá uma olhada lá que tem um monte de dica legal. Não deixe de nos acompanhar nas redes sociais para saber novidades sobre o evento e ficar bem informado sobre as novidades do hobby. Além aqui do blog e da página no Facebook, agora nós estamos reforçando nosso trabalho no Youtube. Faça a sua inscrição que toda semana tem conteúdo novo.

Lembrando que a loja Game of Boards é a nossa parceira oficial. Em todas as edições, você pode comprar online e buscar seu jogo no evento. Compre em : www.gameofboards.com.br

Um comentário:

  1. Que belo Guadalupeças cheio de jogos nacionais! Espero poder compensar minha ausência na próxima edição!

    ResponderExcluir