quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Room 25


Um dos títulos mais legais que eu tenho na minha coleção está sendo lançado no Brasil pela Conclave Editora. Room 25 é um jogo bastante versátil que utilizando um conjunto de regras bastante simples consegue oferecer um total de cinco modos diferentes que vão desde o cooperativo até o competitivo, incluindo modo solo. Além disso, ele possui uma quantidade de componentes relativamente pequena, o que permite que seja jogado em praticamente qualquer lugar e comporta até 6 jogadores. É uma boa opção inclusive para levar em viagens.

Setup montado para 4 jogadores.

Os personagens.

O tabuleiro de Room 25 não é fixo, sendo formado a partir da junção dos tiles de sala, que irão formar um tipo de labirinto de onde os jogadores terão como objetivo escapar. Todos os tiles são dispostos virados para baixo, apenas o central começa revelado, sendo a posição inicial dos jogadores. Para conseguir a vitória, é necessário localizar a tal sala 25 que dá nome ao jogo. Para isso, a cada turno, os jogadores terão de escolher duas ações entre as quatro possíveis: Entrar, Espiar, Empurrar e Deslizar. Elas devem ser programadas simultaneamente e de forma oculta.

Sala inicial.

Sala 25.

Ao escolher a ação de Entrar, o jogador apenas entra em uma sala adjacente, aberta ou fechada. A ação de Espiar é para olhar a sala e não correr o risco de entrar em uma que seja ruim, A ação de Empurrar é mais popular entre os jogadores que são traidores para jogar os demais em salas ruins, mas também pode ser usada para ajudar no progresso de um amigo. A ação de Deslizar é a mais complexa de todas e consiste em mover uma linha ou coluna em uma sala. É uma ação muito boa para se mover rapidamente ou atrapalhar os demais jogadores.

Tiles de ações: Espiar, Entrar, Empurrar e Deslizar.

Selecionando e revelando ações.

Cada jogador tem uma espécie de tabuleiro individual que vem com a arte de seu personagem, uma lista de todas as salas existentes no jogo e um espaço para colocar os tiles correspondentes das ações escolhidas. É um item dispensável quando já se conhece bem o jogo, tendo uma função mais de referência do que de qualquer outra coisa. Os jogadores também contam com um token que serve para marcar uma determinada sala que ele tenha espiado e queira lembrar por qualquer que seja o motivo.

Marcador para lembrar da sala.

O contador de turnos é responsável também pela marcação da ordem e ele caminha em ordem decrescente em um tipo de contagem regressiva que irá variar entre 8-10 dependendo do modo que estiver sendo jogado. A diferença entre os personagens é só estética, servindo apenas para identificar cada jogador. Em geral, seria de se esperar algum tipo de poder específico para cada um, ainda mais que eles tem uma arte que lhes confere bastante personalidade. Isso é corrigido na Season 2 do jogo, que ainda acrescenta mais dois personagens, aumentando a capacidade para 8 jogadores.

Contador de turnos e marcador de ordem na mesma peça.

Todas as salas abertas.

A Season 2 também traz evidentemente novas salas e corrige uma outra questão que pode ter incomodado algumas pessoas no base, as miniaturas deixam de ser todas cinzas. A caixa é outra questão importante, pois vem em uma versão maior para poder acomodar todos os componentes do jogo em um mesmo local. Não sei como isso ficou na versão nacional, tendo em vista que a caixa do base também já vai ser na versão grande. É importante ressaltar que, apesar do que o nome poderia nos fazer supor, ela não é standalone.

Como eu já tenho o base, pretendo comprar apenas a Season 2 nacional. Achei que o preço está bem justo. O jogo ainda está em pré-venda, com previsão de entrega para março. Na loja Game Of Boards o base está sendo vendido por R$189,90 e a Season 2 por R$104,90. Porém, quem comprar os dois juntos paga o valor promocional de R$270.

Confira nosso vídeo para saber ainda mais informações sobre Room 25:



Nenhum comentário:

Postar um comentário