quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Cazadores de Fósiles


Em uma recente viagem de trabalho, o Felipe esteve no México e aproveitou para tentar conhecer um pouco do mercado local. Ele visitou uma loja chamada El Duende em busca de jogos de game designers mexicanos, jogos que só poderiam ser encontrados e comprados lá. Não é sempre que temos a oportunidade de sair do eixo EUA-Europa, e talvez um pouco o Japão, com seus pequenos-grandes jogos. Mas certamente o México é um ponto fora da curva. Foi uma viagem curta e não havia condições de realizar uma pesquisa mais profunda, mas nos pareceu que o mercado lá ainda é bem pequeno e limitado. Uma impressão que talvez um estrangeiro tivesse aqui do Brasil ao entrar em alguma loja e perguntar por opções de jogos nacionais.


O funcionário mostrou o que eles tinham disponível e indicou Cazadores De Fósiles como o melhor. Todos os jogos mostrados eram da mesma dupla de game designers, os irmãos Rafael e Joel Escalante. Fiquei bastante tentada a pegar algum dos outros, porque eles tinham uma temática mais local. Isso me fez pensar novamente no nosso mercado, como são poucos os jogos com uma temática brasileira, em como geralmente os game designers procuram usar temas mais universais por uma questão de maior abrangência. O único jogo com temática nacional que lembro que temos nas lojas atualmente é o Quissama.



Claro que é uma questão muito pessoal de gosto, eu sempre me senti atraída por temáticas diferenciadas, principalmente aquelas ligadas ao nosso país. Acho que é por isso que gosto tanto do trabalho do Rodrigo Rego, que tem o Palmares e o Copacabana vindo por aí, e estou louca para jogar o Ziriguidum, um dos novos jogos do Leandro Pires do Rock N Roll Manager, que é de administração de uma escola de samba. Gostaria muito de algum dia ver um jogo que trabalhasse com elementos do nosso folclore. Às vezes, sinto um certo desgosto de ver jogos nacionais até mecanicamente interessantes, mas usando os mesmos temas genéricos de sempre. Lá e de volta outra vez em uma fantasia medieval qualquer.

Copacabana tem previsão de lançamento para 2017 pela Redbox Editora.

É uma questão bastante complexa e que sei não ter como dar conta em um texto tão simples como o que aqui se apresenta, além de não ter bagagem suficiente para tal empreitada. O que fiz acima foi só passar algumas impressões bem pessoais sobre um assunto que gostaria de ver sendo pensado e discutido por outras pessoas, gente com mais condições de tratar sobre isso, seja por experiência ou conhecimentos bem maiores que os meus, pois ainda sou relativamente novata no hobby.

Mas voltando ao Cazadores de Fósiles, o vendedor da loja disse que era o melhor e nós acabamos por seguir a sua recomendação, até porque bate com o que consta no BGG. Além disso, o Felipe é um grande fã de Dinossauros e não tínhamos nenhum jogo com esse tema na nossa coleção. Nós somos bastante temáticos, a diferença é que eu me importo um pouco mais com a mecânica do que ele.

Componentes.

Cazadores de Fósiles é um jogo bastante simples de pick-up and deliver com set collection. Os jogadores assumem o papel de paleontólogos que precisam percorrer o mundo atrás dos mais variados dinossauros para expor em seus museus. Os fósseis são representados por tiles distribuídos em pilhas pelo tabuleiro, eles são divididos em cinco categorias distintas com uma distribuição fixa. O que vai garantir a necessária aleatoriedade ao jogo é o fato de que os diferentes animais são divididos em partes que variam de acordo com o seu tamanho.

Setup montado para cinco jogadores.

Para se moverem pelo mapa, os jogadores possuem navios. Eles devem seguir as trilhas pré-determinadas no mapa. O tabuleiro individual de cada jogador representa o espaço interno disponível para armazenar os fósseis coletados ao redor do mundo e também possui o controle de mantimentos necessários para as viagens. Se um navio está cheio, o jogador não pode pegar novos fósseis antes de retornar ao seu museu e descarregar. Assim como na movimentação é preciso estar atento ao gasto de mantimentos, o jogador precisa ter o suficiente para chegar em algum porto para reabastecer.

Tabuleiros individuais.

As âncoras brancas marcam os portos.

No início da partida, os jogadores começam com 8 de mantimentos, posicionam seus museus em qualquer local do mapa e escolhem entre 3 cartas de objetivo. Outras podem ser compradas posteriormente. É o mesmo esquema de Ticket To Ride, inclusive com a carta de bonificação no final e a perda de pontos dos objetivos não concluídos. Já a movimentação lembra Dogs, um de mantimento para cada espaço percorrido e precisa ter o necessário para chegar até o porto mais próximo para reabastecer. A diferença é que no jogo do Macri tínhamos um cão aberto em cada local, aqui o jogador compra de pilhas fechadas, tendo como única informação disponível o tipo do dinossauro. O jogo permite comprar até o limite de 4 tiles de fósseis por turno. A coleta também gasta mantimentos assim como a movimentação.

Cartas de objetivo.

O jogo começa como uma corrida atrás dos fósseis, ninguém costuma voltar para descarregar o navio antes de enchê-lo completamente. Para conseguir os diferentes tipos é necessário ir para áreas distantes do local onde o museu foi posicionado. O que pode dificultar o retorno posteriormente, uma boa estratégia pode ser movimentar menos no início para acumular bastante mantimento. O problema é que os tiles de um determinado tipo de dinossauro podem acabar, deixando o jogador na dependência de comprar depois no museu de seus oponentes.

Os fósseis fora do tabuleiro significam que estão no museu.

Quando os jogadores completam seus dinossauros, eles são pontuados em um esquema bem parecido com o Ticket To Ride também, a tabela está impressa no tabuleiro para facilitar. Os fósseis quando estão no museu podem ser comprados por outros jogadores, eles precisam mover seu navio até o museu do oponente e pagar 2 PV por cada tile desejado. O jogador alvo não pode negar a venda. Apenas os fósseis utilizados para completar objetivos ficam imunes a essa ação. A partida acaba no exato momento em que o último tile de fóssil disponível no tabuleiro for comprado.

Tabela de pontuação.

Cazadores de Fósiles possui componentes de boa qualidade. Sua caixa é resistente e com uma arte caprichada, tanto ela quanto o tabuleiro e os tiles são envernizados. O conjunto de peças de cada jogadores é todo de madeira, achei o barco bem esculpido. Só os tabuleiros individuais é que poderiam, na minha opinião, ser mais elaborados. As cartas também são simples, mas cumprem sua função. Apesar de ser um jogo relativamente simples, não tirar o mérito do manual que é bastante claro e objetivo. Um manual mal escrito consegue estragar qualquer jogo.

Manual bem ilustrado.

Guia rápido.

Um outro ponto que considero digno de nota, ainda sobre o componentes do jogo, é que os tiles de fósseis formam a imagem perfeitamente quando posicionados. Com uma quantidade tão grande e variada não seria surpresa se na hora de montar algum deles ficasse torno. Achei curioso esse esquema de set collection meio que com quebra-cabeça.

Achei que a imagem fica muito bem montada.

O jogo vem com a indicação de 2-5 jogadores e duração de 60 minutos. Achei que ele funciona melhor com 3-4 jogadores, indo um pouco na contramão do que indica o BGG. Com 5 jogadores, eu achei que fica muito caótico. Porém, essa experiência foi em uma mesa de novatos. Talvez em uma partida com jogadores já experientes fique mais interessante. A questão das compras é um ponto fundamental que não costuma ser devidamente valorizado nas primeiras partidas. Quanto ao tempo é em média isso mesmo.

Cazadores de Fósiles é um jogo bastante simpático, com mecânicas simples que servem bem ao tema proposto. Ele é simples de regras, mas permite algum nível de estratégia. Porém, de forma geral, acredito que seu objetivo seja diversão de forma mais ampla e descompromissada. Foi uma boa compra, acho que vai ver bastante mesa. Além de ter custado a bagatela de apenas US$20. De qualquer forma, valeu pela curiosidade. Temos um legítimo e inusitado jogo mexicano na coleção. Se algum dia for a Cidade do México, dê uma passada na loja El Duende.

Confira mais sobre Cazadores de Fósiles e a viagem ao México assistindo ao vídeo abaixo:

2 comentários:

  1. Gostei do jogo mexicano! Também concordo com vc que seria mais interrssante ter jogos com temáticas variadas e mais brasileiras. Tem muito duende, elfo, viking, entre outros, como opção já.

    ResponderExcluir
  2. no terceiro paragrafo, voce falaram que o rock 'n roll manager é um jogo sobre uma escola de ... samba =P
    mas tirando este pormenor, bom texto. o jogo parece interessante e tem uma temática diferente do senso comum zumbi / fantasia / espacial =)

    ResponderExcluir