quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Guadalupeças


Domingo tivemos uma edição um tanto quanto atípica do Guadalupeças, ocorreram alguns problemas que atrapalharam um pouco o bom andamento do evento. Em virtude disso, não pude me comprometer em jogos novos ou longos. Por isso, peço desculpas ao rapaz que estava lá com um protótipo e me convidou para experimentar, mas tive que declinar por não estar em condições de dar o tempo e atenção necessários. Espero poder compensar em uma outra oportunidade. Peço desculpas também por não lembrar os nomes nem do jogo, nem do autor.

Pelo menos a foto, eu consegui tirar.

Como eu precisava jogar algo rápido e de preferência que eu já soubesse a regra, acabei caindo no Ascension. Eu já havia jogado antes para conhecer e ver se valia a pena pegar porque eu já tinha o DC Comics Deck-Building Game. Minha conclusão foi que o jogo é genérico demais e não oferece nenhum diferencial que justifique sua presença na minha ludoteca. Mas é uma boa opção de compra aqui no Brasil para quem não tem nenhum jogo do gênero, acho melhor do que Dominion e se não me engano ainda é mais barato.

Joguei três partidas seguidas de Ascension, ele é bem agradável de jogar porque é bem rápido. Não é possível guardar cartas de um turno para o outro, independente de terem sido utilizadas ou não, todas vão para o descarte no final da vez do jogador. Isso faz o jogo ficar muito dinâmico e quanto mais você conhece as cartas, mais rápido faz suas jogadas e mais tem vontade de jogar, seja para tentar novas combinações ou corrigir falhas só percebidas posteriormente.

Eu joguei com o Heitor, um amigo de algum tempo já, que ficou um pouco sumido do universo do hobby, mas agora está de volta. Ele é um grande fã de cardgames, em especial essa mecânica de construção de deck. Ele ainda não conhecia o Ascension, mas já havia jogado bastante Dominion. Foi uma vitória para cada lado nas duas primeiras e na terceira foi uma vitória fácil dele. 

Então, fui apresentar para ele o DC Comics Deck-Building Game. Jogamos apenas uma partida, mas a opinião dele foi a mesma que a minha, e lamentou que só seja possível comprar o jogo através de importação. DC Comics Deck-Building Game deve ser o jogo que mais viu mesa esse ano e todos para quem apresentei sempre gostaram muito, tanto é assim que sempre rola várias mesas dele ao longo do dia no evento. Confira o nosso post completo sobre ele.

Um dos jogos mais jogados do evento. 

Depois foi a vez dele me apresentar um jogo novo. Rise To Power é um dos futuros lançamentos da Pensamento Coletivo no Brasil divulgados no Diversão Offline. Eu confio bastante nos gostos do Filipe Cunha, pois são muito parecidos com os meus, então sempre que eles anunciam novidade quero logo experimentar. E eu já tinha gostado bastante do jogo visualmente. Ele tem uma arte futurista que me remete a Race For The Galaxy.

Rise To Power é um jogo de construção de cidade que lembra Citadels, mas sem durar uma eternidade, porque aqui ninguém pode destruir suas construções, e também sem os papéis, apesar de que parece que eles existem em expansão. Mas o objetivo é construir um determinado número de construções, quando isso acontece o fim da partida é disparado e os demais jogadores têm mais um turno para tentar aumentar suas pontuações. 

As cartas são dupla face, de um lado temos os contratos e do outro as construções em si. O jogador pega o contrato e precisa pagar do valor em dinheiro especificado da sua mesma cor para virar para construção. Mas o lado do contrato possui ações muito boas, se o jogador optar por usar a ação, a carta vira para construção e vai para uma área aberta onde o próximo jogador pode pegá-la sem custo. Isso, entre outras coisas, torna Rise To Power um jogo de decisões difíceis. 

Visão geral do jogo.

Ele não tem regras complicadas, mas possui uma certa curva de aprendizagem. A primeira partida é só para pegar as regras mesmo, até porque o design e a iconografia geram um estranhamento inicial que precisa ser rompido. Escrevi bem superficialmente aqui porque pretendo fazer um post completo só sobre ele em breve. Rise To Power despertou em mim aquela vontade de jogar repetidas vezes para entender as suas regras e possibilidades estratégicas.

Como eu já disse no início, esse foi um Guadalupeças um pouco atípico por uma série de problemas que tivemos, isso acabou afetando também o registro fotográfico do evento. Como só eu estava tirando fotos, e quando sento para jogar acabo por esquecer de fazê-lo, acabamos com uma quantidade bem limitada, e nenhuma das partidas que participei, Preciso aprender a ficar mais atenta a isso e também tirar fotos de mim mesma quando jogo. Mas segue abaixo, algumas mesas que consegui fotografar.

Galera adorou jogar Vudu. Foi o sucesso dessa edição do evento.

Pessoal montando Cazadores de Fósiles, um jogo mexicano sobre o qual em breve vai rolar post aqui.

E é claro que não poderia faltar o Rock N Roll Manager.

Agradecemos a todos pela presença e esperamos revê-los no mês que vem. Curtam as páginas do Guadalupeças e do Turno Extra no Facebook para acompanhar todas as novidades. Estamos com uma parceria com a Bravo Jogos, compre com desconto utilizando o código TURNOEXTRA. E a nossa loja parceira aqui no RJ, a Game Of Boards, vai inaugurar sua primeira unidade física no próximo sábado com muitas promoções e descontos. Estaremos lá, apareça para conhecer a loja e também jogar com a gente. Com certeza será uma tarde muito divertida. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário