quarta-feira, 25 de maio de 2016

O Morcego Covarde


Uma grande guerra estava sendo travada entre os Mamíferos e as Aves, e, entre eles, havia uma alternância de quem estava ganhando. O Morcego, temeroso, sempre lutava do lado de quem estivesse com a vantagem. Aos Pássaros, ele dizia que tinha asas e sabia voar, portanto, era um Pássaro. Já aos Mamíferos, que tinha pelugem e presas; portanto, era um Mamífero. Quando a paz foi proclamada, a atitude do Morcego ficou clara para ambos os lados. Assim, então, ele foi condenado por sua traição a abandonar a luz do dia, vivendo em cavernas e locais escuros, e a voar apenas à noite.
Esopo, 600 a.C.

Usando os elementos dessa fábula de Esopo, o game designer Taiki Shinzawa criou o jogo de blefe Hikyõ na Komori, lançado pela Oink Games em 2012 e que está sendo trazido ao Brasil pela Pensamento Coletivo como O Morcego Covarde, o primeiro lançamento da linha Microbox da editora. Parece que a ideia é desenvolver várias linhas diferentes com base no tamanho dos jogos, algo que está se mostrando uma tendência lá fora e agora também aqui no Brasil. Acho que as pessoas gostam de guardar seus jogos numerados na estante. Ano passado, a Pensamento Coletivo começou com a linha Smallbox lançando Gunrunners, um jogo que saiu com excelente qualidade; e que nos faz esperar o mesmo de O Morcego Covarde. Digo isso porque a cópia que está comigo não é a versão final, apenas um protótipo para demonstração.




Os jogos japoneses em geral costumam ser bem simples, porém intrigantes. Eles costumam trabalhar com poucos elementos físicos e regras, mas que produzem como resultado jogos que colocam a sua mente para funcionar. Eu gosto muito dos jogos da Oink Games, já tive o prazer de jogar alguns outros, que também devem ser lançados em breve pela Pensamento Coletivo. Mesmo O Morcego Covarde sendo o mais simples de todos, talvez por esse o motivo tenha sido escolhido como primeiro lançamento, ele tem seus detalhes estratégicos significativos. O jogo possui o mesmo número de cartas de Mamífero, Pássaro e Morcego. Essa informação para alguns jogadores não vai passar despercebida.



Como funciona O Morcego Covarde? As cartas são embaralhadas e cada jogador recebe um mesmo número de cartas fechadas aleatoriamente. O critério de escolha do Primeiro Jogador é aquele que for o mais covarde. Isso pode ser polêmico ou já servir para começar as risadas em alguns grupos, ao levar cada um a expor suas pequenas vergonhas. Em uma mesa que o Felipe esteja participando, ele provavelmente será o sempre o Primeiro Jogador. Difícil encontrar algo no mesmo nível de ter pânico de lagartixas. Enfim, o Primeiro Jogador irá jogar uma carta, ela pode ser aberta ou fechada. Se escolher a segunda opção, ele pode blefar sobre o conteúdo da carta jogada. É obrigatório anunciar de que tipo ela é não importando se é verdade ou mentira. O jogo roda em sentido horário e todos os jogadores irão fazer o mesmo até chegar ao último. Nesse momento, todas as cartas são reveladas e será verificado os vencedores da rodada. As situações podem ser as seguintes:

1- Todas as cartas são do mesmo tipo - Simples, todos os jogadores vencem.


2- Dois tipos de cartas diferentes - Maioria vence, exceto se for Morcego.




3- Três tipos de cartas diferentes - Os Morcegos vencem junto com a maioria.



Observação: Em casos de empates, os Morcegos sempre perdem.

Os jogadores que ganham a rodada pegam a carta utilizada de volta e a colocam a sua frente na mesa, ela servem para contar o ponto conquistado, a soma de todas elas ao final determinará o vencedor do jogo. Já aqueles que perderam descartam a carta que foi utilizada naquela rodada. Um jogador mais atento, com o passar dos turnos, consegue ter uma ideia cada vez mais nítida do que cada jogador tem na mão, pois ele consegue contar o que já foi jogador e saber quantas cartas de cada tipo ainda estão em jogo. Então, a complexidade que o jogo pode chegar vai depender da mesa. Se o grupo gosta de contar as cartas e ficar fazendo cálculos de probabilidade, se é um grupo que gosta mais da manipulação do blefe para induzir os demais ao erro ou se é um grupo que só quer relaxar dando boas risadas com erros e acertos quase aleatórios. 

O jogo ainda possui algumas variantes para aumentar sua rejogabilidade e complexidade. Assim ele tem regras para utilização de mecânica de draft durante a rodada, cartas iguais para todos os jogadores e até mesmo um modo onde os Morcegos podem virar o jogo. Um quarto modo citado é desempate de jogo através da quantidade de Morcegos, mas isso eu não considero como variantes. É apenas uma regra de desempate necessária entre os competitivos brasileiros que não estão muito acostumados com dividir a vitória ou mesmo não haver vencedores, algo que ocorre em alguns jogos japoneses.

A arte do jogo é bem minimalista, uma outra característica da simplicidade dos japoneses na elaboração de seus jogos. As cartas de Mamíferos são vermelhas e as de Pássaro azuis, por isso temos os Morcegos em cartas da cor lilás, que é a mistura das anteriores. O fundo das cartas parecem tábulas tipo de galpão de fazenda pintadas nas respectivas cores. Os desenhos dos animais são apenas silhuetas, porém bastante variadas. Isso ajuda a quebrar uma possível monotonia da arte. Algumas pessoas mais bem humoradas ao invés de declarar Mamífero ou Pássaro gostam de dizer o animal em si, tipo Porco ou Galinha.


Quanto a qualidade, já tivemos uma boa amostra com o Gunrunners, como já havia mencionado acima, então temos boas expectativas. O jogo está num preço bastante acessível, um dos mais baratos sendo vendido atualmente no mercado nacional. Acho que a única editora com preços iguais ou até melhores é a Funbox, porém eles têm gráfica. Como já demostrei acima, é um jogo que acredito pode agradar desde o público mais "heavy gamer" até o pessoal "não gamer". Dá para jogar com os amigos de jogatina, enquanto espera completar uma mesa ou até mesmo uma montagem de setup. Dá para jogar com os amigos do trabalho, da faculdade ou de qualquer outro lugar. Dá até para puxar no churrascão de final de semana da família, não deixando de fora nem as crianças. O Morcego Covarde comporta até 7 jogadores, mas se o seu grupo for muito grande, basta comprar duas cópias. Medo de ficar caro? Que nada! O jogo custa R$35, então vai sair por apenas R$70. Que jogo atualmente no mercado nacional possui tão boa relação custo-benefício?

Nenhum comentário:

Postar um comentário