quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Imperial Assault - Introdução (Aftermath)


Já havia algum tempo que estávamos tentando conseguir jogadores para a campanha de Imperial Assault. O Felipe não curtiu muito jogar só nós dois. Mas conseguir pessoas com disponibilidade e disposição para se comprometer em uma jogatina assim não é fácil. Porém, depois de várias tentativas, conseguimos jogar nossa primeira partida.


A ideia inicial seria jogar em casa, mas para facilitar para as outras pessoas, ficou decidido que faríamos em um local público. Marcar finais de semana se mostrou impraticável, então definimos um dia da semana que atendesse a todos. Assim, ficou marcado às quartas-feiras, no evento Fábrica das Peças que rola no shopping Nova América.

Achei que fosse ser bem tranquilo porque todo mundo já tinha uma certa familiaridade com o jogo. Mas a gente acabou se enrolando um pouco, porque começaram a surgir várias dúvidas. O Felipe já levou o cenário separado para agilizar o setup, mas a parte do Ovelord ficou para ser montada na hora. Acabamos começando a partida por volta das 21 horas, porque o Filipe também chegou um pouco atrasado.

Filipe ficou de Overlord Imperial e os Rebeldes foram eu, Felipe e Bruno. O Carlos também iria participar, mas ele acabou "sequestrado" pelo William para jogar Terra Mystica. Felipe jogou com o personagem dele. O objetivo da missão introdutória Aftermath é conseguir destruir quatro terminais em seis rodadas. Fomos massacrados, mal conseguimos destruir metade disso.


Nós perdemos muito tempo tentando matar os personagens imperiais, devíamos ter nos concentrado no objetivo da missão. Demoramos muito para avançar no mapa. Além disso, enquanto fazíamos rolagens pífias, o Filipe quase sempre conseguia bons resultados. Como se não bastasse isso, ele fez as melhores jogadas, utilizando todos os recursos a sua disposição.


O jogo já é difícil para os rebeldes, com um Overlord como Filipe ficou ainda pior. Não conseguimos agir como uma equipe, foi cada um por si. Precisamos melhorar isso na próxima missão para termos alguma chance de sucesso. Além de rezar por mais sorte nos dados para gente e menos para o Filipe. A partida foi boa, apesar da surra. Serviu mais para gente sentir o jogo, pegar ritmo e nos organizarmos. Senti muita diferença na dinâmica do jogo. Ficou tudo bem mais caótico.

Por termos começado um pouco tarde, várias vezes precisarmos interromper para tirar alguma dúvida no manual e também pelo Filipe ter sido um Overlord bem maquiavélico, que ficava pensando muito as jogadas, o final foi um pouco corrido. Ainda mais que tem um monte de cálculo/anotação para fazer depois da partida e a verificação de qual vai ser a missão seguinte.

Na próxima vez que formos jogar, vamos tentar nos organizar melhor e começar mais cedo também. Outro ponto é que acredito que haverão menos dúvidas. A ideia é escrever um post para cada missão que jogarmos. Estou bem animada para isso. Será que vou conseguir? Já faz um tempo que eu pensava em escrever relato de partida. Fiz isso bem pouco por aqui. Talvez, eu faça com Memoir'44 também, apesar de já ter jogado quatro batalhas. Estou pensando em escrever sobre o jogo em geral, como normalmente faço, acrescentando um resumo do que rolou nos combates até agora; para depois ir fazendo os posts individuais de cada partida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário