sábado, 24 de maio de 2014

Inauguração da loja Redbox


Sexta-feira passada tivemos a inauguração da Redbox aqui no RJ, eu até cheguei a dar uma passada lá para conhecer, mas estava simplesmente impossível. Tinha uma fila enorme na porta para entrar. A loja fica localizada na Av. 13 de Maio no Centro, um endereço bem conhecido entre os gamers cariocas, principalmente quem curte Magic e RPG. A Gibiteria e Bárbaras Magias fez parte da vida de toda uma geração e foi triste seu fechamento. A Redbox não é exatamente na mesma loja, mas fica no mesmo prédio e andar. Não estamos mais órfãos, e o melhor, eles chegaram antenados com o crescimento do mercado de boardgames. Além da venda de jogos, eles estão iniciando um serviço muito bacana de aluguel.

Quinta-feira finalmente consegui conhecer a loja, o Fel Barros marcou uma jogatina básica no local - o Redboards. Não sei se será um evento fixo, gostaria que fosse, mas independente de ficar como algo oficial ou não, pretendo voltar lá muitas vezes para jogar. A loja está bem bonita e é bastante espaçosa. Ainda está um pouco vazia de produtos para o meu gosto. Não sei se eles vão manter assim para fazer um visual "clean" ou se depois vão colocar mais coisas. Particularmente, prefiro estantes abarrotadas. A parte reservada aos jogos para aluguel está bem cheia e com muita coisa boa. O mais bacanas é que a maioria não é facilmente vista por aí. Tem vários jogos que quero jogar e nunca tive oportunidade, tipo: Caylus, Village, Rattus, Tokaido, Alien Frontiers, Nexus Ops...

 
 

Comecei a noite jogando o badalado Marvel Dice Masters: Avengers vs. X-Men com o Cacá. Primeiro, ele jogou com o Felipe que teve um pouco de dificuldade de entendimento. Um playmat faz falta para dividir as áreas do jogo, tipo os que vem com Battle Scenes. Também senti falta de um contador, é feio demais ficar anotando em papel. Outra crítica ao material são os saquinhos que vêm para colocar os dados durante a partida. É saquinho de papelaria, mais vagabundo impossível. O jogo em si não achei nada demais. Não compraria, não faz o meu estilo. Só está causando essa comoção toda porque é Marvel. Mas eu sei que o Felipe vai comprar justamente por esse motivo.


O grande charme do jogo é claro são os dados de personagem, eles realmente são uma graça. Os outros dados não tem nada demais. Jogamos cada um com três personagens cada um deles com dois dados. Eu fiquei com Capitão América, Tocha Humana e Thor. O Cacá foi de Homem-Aranha, Hulk e Fera. Além dos personagens, tinham três cartas de habilidades especiais. Em cada turno, são retirados quatro dados do saco para rolagem. Eles tem faces de "peãozinho bucha" e com símbolos específicos necessários para comprar um dado de personagem. É possível re-rolar uma vez qualquer quantidade de dados e também colocar na reserva, para aumentar a quantidade de dados rolados no próximo turno.

As cartas de personagem vêm com um símbolo específico e com o número de energias necessárias. Para colocar um dado de personagem em jogo, pelo menos um dos dados de energia utilizados para pagar o custo precisa ter o simbolo solicitado na carta. Para comprar habilidades especiais é só pagar o valor numérico. Os dados utilizados vão sendo descartados, só voltando para o saco de rolagem quando o mesmo ficar vazio, é um dice-building. A partida foi bem emocionante, doze de vida no total, fiquei com sete e ainda não tinha conseguido dar um dano sequer. Foi aí que a sorte virou e consegui zerar os pontos de vida todos do Cacá sem perder mais nenhum.

Enquanto eu estava nessa de rolação de dados, o Felipe começou uma partida de Rampage e descobriu que perdemos um meeple no Anime Pocket. Entramos em contato com a Repos solicitando a reposição e no dia seguinte eles já haviam enviado uma resposta positiva. Tão solícitos quanto a Days Of Wonder foi quando solicitamos reposição de peça do Smallworld. Mas, pela natureza do jogo, acho que deveria vir com uma reserva de meeples como o Ticket To Ride que vem com trens extras.

Quando terminei de jogar o Marvel Dice Masters: Avengers vs. X-Men ainda estava rolando o Rampage, então fui procurar alguém disponível para iniciar um novo jogo. O Fel Barros, o Rodrigo Rêgo e mais outros dois meninos estavam querendo alugar, então me juntei a eles. O aluguel saiu bem barato, R$4 para cada um. Depois de alguma dúvida acabamos pegando Amun-Re do Knizia, um Euro médio tendo o Egito como tema. A partida é composta por seis turnos, três no antigo Egito e três no Egito moderno. Em cada turno, os jogadores vão adquirir uma província. Depois vem as ações que podem ser: comprar carta, escravo e tijolo para construir pirâmide. O que limita as ações são as províncias, cada uma delas têm características específicas, e a quantidade de dinheiro que se tem para gastar. Então, vamos ao sacrifício ao Amun-Re e receber o dinheiro, de acordo com o resultado dessa fase e a quantidade de escravos que a província possui.


Infelizmente, jogamos só os primeiros três turnos, pois já estava ficando tarde e eu precisava ir embora. Na segunda parte, o Fel falou que é legal porque as pirâmides ficam construídas, então a disputa pelas províncias fica mais acirrada. Espero ter oportunidade de jogar novamente, de preferências com as mesmas pessoas, porque aí todo mundo já sabe as regras. Enquanto eu construia pirâmides no antigo Egito, Felipe disputava quem era o melhor arquiteto fazendo construções com dados em Blueprints. Esse jogo parece muito legal, estou doida para experimentá-lo.

Gostei muito da loja, fico na torcida para que seja um sucesso. Principalmente, a parte de aluguel de boardgames. Quem sabe daqui a algum tempo tenhamos algo minimamente próximo a Ludus (o nome da rua é o mesmo O_o), só que sem a parte da comida. Não que eu ligue para isso. Na minha opinião, jogos e comida devem ficar bem longe um do outro. Mas se a fome apertar, a loja vende algumas coisinhas básicas para enganar o estômago e para quem bebe, além da cerveja em lata vendida lá, tem uma barbearia muito louca ao lado que vende chopp.

Um comentário: