quinta-feira, 1 de maio de 2014

Dungeon Roll


Dungeon Roll é um dice rolling com temática de fantasia, no melhor estilo D&D. Cada jogador escolhe um herói e deverá acumular a maior quantidade de pontos de experiência possível matando monstros e descobrindo tesouros, mas cuidado com o dragão, ele pode fazer a sua aventura chegar ao fim mais cedo.


Ele foi lançado no ano passado através do Kickstarter e foi essa versão que adquirimos. O material do jogo é de boa qualidade, além de ser bem bonito. A caixa é em formato de um baú super charmoso. Os componentes ficam armazenados confortavelmente e ainda é útil durante a partida, pois é onde os tesouros ficam guardados. Na versão do Kickstarter só muda a cor. Aliás, a maioria dos itens são só "perfumaria". O que vale mesmo são os personagens extras, são mais nove heróis.
  

Mas vamos ao jogo, o primeiro de tudo é escolher seu herói. Cada um deles possui habilidades únicas e dois níveis. Cada jogador fará três entradas na masmorra, antes de cada entrada serão rolados os sete dados brancos para determinar quais serão seus companheiros. O jogo vem com ótimos cartões explicativos do que cada um deles faz.


Os dados da masmorra serão rolados de acordo com o nível. Quanto mais alto o nível, maior será a quantidade de dados rolados. Conforme for o resultado, o jogador vai escolher qual companheiro utilizar, após isso eles vão para o cemitério. Os resultados de dragão serão separados, quando juntar três dados, o será preciso utilizar três diferentes companheiros para enfrentar o dragão, recebendo como recompensa um tesouro e um ponto de experiência adicional.

 

A cada término de turno, é possível escolher entre: parar e receber os pontos de experiência correspondentes ou prosseguir para o próximo nível. Se o jogador não tiver companheiros suficientes para enfrentar os dados da masmorra, ele perde e saí sem ganhar pontos de experiência, a menos que tenha um tesouro que previna isso.

Nos dados da masmorra, além de monstros e do dragão, também temos o tesouro e a porção. O tesouro é retirado aleatoriamente do baú e a porção revive um companheiro, sendo possível mudar a face do dados a escolha do jogador. Cada tipo de tesouro também vem nos cartões explicativos.


Em questão de instruções, não há do que reclamar. O manual é claro e bem ilustrado, no final ainda vem com um resumo do turno. Além do manual e dos cartões, o jogo vem com um livrinho com a arte de todas as cartas, super caprichado.

 



Dungeon Roll não tem interação entre os jogadores, enquanto um joga os outros só assistem, o que pode ser meio chato. Acho que é bom jogá-lo com duas ou três pessoas, no máximo, apesar de poder ser jogado com até quatro pessoas. Também é possível jogar sozinho, o manual vem com uns desafios no final para dar uma animada nessa modalidade.

Não é um dos jogos mais incríveis do universo, como acredita o Felipe Vinha, mas também não há como negar que possui seus méritos. É simples, rápido e compacto, ideal para jogar enquanto aguarda o início ou término de algum outro jogo. Com temática e mecânica em total sintonia, além dos excelentes componentes. Garantia de bons momentos de diversão.

Um comentário:

  1. Review muito bom, se não fosse desajeitado de colocar o Baú em um cantinho do armário de jogos talvez eu até adquiria uma cópia (risos). =)

    ResponderExcluir