quarta-feira, 12 de março de 2014

1º Boards & Burgers



Mais um evento para alegria dos apreciadores de jogos de mesa cariocas que sentem falta de uma jogatina durante a semana. Já tínhamos o Spaghetti no Largo do Machado e Jogatilha na Ilha do Governador às quintas-feiras, infelizmente ambos inviáveis devido a distância. Estava matando um pouco minha vontade no Android Netrunner que rola às segunda-feiras no KFC da Presidente Vargas. Então, quando o Nelson começou a publicar fotos das jogatinas descompromissadas dele com os amigos durante a semana no BoardGames Brasil fiquei louca, acho que não só eu, pois acabou se tornando um evento.

O Boards & Burgers, ficou muito legal esse nome, vai rolar toda terça-feira no Burger King da Av. Rio Branco no horário de 17:00 às 22:00 horas. Ontem foi o primeiro de muitas edições, assim espero, e que eu possa estar presente sempre. Cheguei lá às 17:00 em ponto e fiquei até umas 20:30. Abrimos os trabalhos com Room-25, um jogo que está no topo da minha lista de desejos. Tanto a mecânica quanto a temática dele são sensacionais, além de ser simples e rápido. Se bem que essa partida foi rápida demais. Não deu nem para curtir direito.


Em Room-25, os jogadores estão em uma prisão e precisam achar a saída. O jogo começa com apenas a sala inicial revelada. Cada um pode olhar uma sala ao redor no começo da partida, antes de definir suas ações. O jogador deve escolher secretamente 2 entre as 4 opções possíveis: Olhar, Entrar, Empurrar e Mover. As salas são divididas em 3 níveis de perigo e também possuem efeitos diversos, mas vem tudo bem explicado na ficha de personagem. Em outra oportunidade, escrevo um texto detalhado sobre ele, porque esse jogo merece. E também pelo que vi no BGG ele que tem vários modos diferentes de jogá-lo. Dá para ir do cooperativo ao competitivo.

Os jogadores podem se ajudar para todos chegarem a saída ou disputarem para ver quem consegue primeiro. O modo cooperativo fica mais forte quando tem o guarda, que é o traidor da galera, fica só procurando o melhor momento de sacanear todo mundo. Na partida de ontem, jogamos cada um por si. Foi muito rápida, como já havia dito acima, porque fomos 3 para um lado e apenas 1 para o outro, que foi justamente quem encontrou a saída. Estávamos todos longe e não tinha nada que pudéssemos fazer para atrapalhar. 

Depois partimos para Skyline 3000, nesse eu era totalmente novata. Só sabia que era um jogo de construir prédios. Bem, a premissa é essa mesma, mas tem alguns outros detalhezinhos. Nada que torne o jogo muito difícil ou pesado. Ele tem uma mecânica bem tranquila e não depende de idioma. Cada jogador tem um tabuleiro que é o seu "canteiro de obras", no início cada um começa com 4 prédios: 2 de 1 piso (1 com teto curvo e 1 com teto triangular) e 2 de 2 pisos ( (1 com teto curvo e 1 com teto triangular). As cartas permitem comprar pisos para construir prédios, colocar teto no prédio indicando que ele está finalizado (o número de tetos de cada jogador é limitado) e por último temos a carta que diz onde colocar seu prédio.


O tabuleiro é dividido em 3 grandes áreas indicadas pelas cores Azul, Vermelha e Amarela. Cada uma delas subdivida em outras 3 menores. O objetivo do jogo é dominar as áreas. Como fazer isso? Tendo mais construções no local. Não adianta ter mais prédio, o importante é quantidade de pisos. Só que não se pode sair construindo prédios de qualquer tamanho. Em uma área vazia só se pode colocar prédio de 1 piso, o próximo colocará de 2 pisos e assim sucessivamente. É preciso administrar muito bem a construção dos seus prédios e ainda torcer para pegar a carta correspondente a área em que quer colocá-lo.

O jogo também tem um esquema de leilão. As cartas vêm com números, no final de cada fase de construção, cada um vai apostar para tentar conseguir itens que valorizarão suas áreas. O legal é que tem uma carta chamada "Stop" que é colocada para indicar o término da sua aposta, o que dá muito mais emoção para essa parte do jogo. Coloca-se todas as cartas que se tem na mão com a face virada para baixo e vai revelando ao mesmo tempo uma por uma até chegar no "Stop".

Os primeiros dois itens são áreas verdes, além de dar pontos, é bom que ocupa espaço, dificultando para outro jogador tentar roubar sua área. Para ocupar espaço, tem também a opção de utilizar a plaquinha "Coming Soon", mas perde 1 ponto para isso. Depois vem os itens principais: dois estacionamentos e dois shoppings. Só existe um local para cada deles. O jogo tem quatro turno. No final de cada leilão é contado os pontos. Só os dois primeiros de cada área pontuam.

Eu gostei bastante do jogo, o final foi bem tenso, os meninos queimando a cabeça nas continhas. A diferença entre o primeiro e o segundo lugar foi de apenas 3 pontos. É claro que fiquei em último, vários prédios "empacados" no canteiro, além de não ter sabido distribuir bem meus tetos. As áreas não podem ter todas o mesmo tipo de teto e nem pode misturar, isso restringe bem o jogo, principalmente no final. Só não gostei da arte, acho que podia ser bem melhor.

Depois disso, já estava um pouco tarde, então fiz um lanchinho e fui experimentar um Coup (para saber se fiz bem em comprar o da Funbox lol). É um jogo super rápido. Cada jogador tem dois personagens, cada um com uma habilidade específica. Porém, é um jogo de blefe, ninguém sabe as cartas de ninguém. Então, o jogador pode declarar que irá fazer uma ação de um personagem que ele não tem, para impedir um outro jogador precisa questionar. Então, quem estiver errado perde uma carta. Se ficar sem carta na mão está fora. Outra forma de eliminar a carta de alguém é tendo 7 de dinheiro, acho que essa é uma forma de acelerar o jogo. Eu venci a segunda partida assim, deixei todo mundo se matar e fui só juntando dinheiro. XD


Além dos jogos acima, que foram os que joguei, ainda vi que rolou Love Letter e Don Capollo.




4 comentários:

  1. Resenha ótima Aline!!!! E vamos que vamos!!!

    ResponderExcluir
  2. Aline, muito bom seu blog! Gostaria de sugerir como post dicas para criar um grupo de board game. Tenho tentado aqui na minha cidade, interior de SP, mas temos encontrado algumas dificuldades. A maior delas, como pode imaginar, é espaço. Preciso de algumas dicas sobre onde procurar apoio para essas almas tão sedentas de uma boa jogatina semanal. Temos um número legal de pessoas e por enquanto estamos jogando em casa mesmo. Mas sabemos que logo teremos que procurar um novo local e eu estou meio perdida por onde começar. Bom, força pra vcs aí e novamente parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Geralmente, fast foods são a melhor opção para começar. Eles são bem receptivos, pois as pessoas vão jogar e acabam consumindo bastante. Procure a gerência e converse com eles, procure por lojas mais vazias ou dias e horários de menor movimento.Espero ter ajudado e boa sorte. Obrigada pelo elogio ao blog, continue acompanhando e mande notícias. XD

      Excluir