sábado, 28 de dezembro de 2013

Enciclopédia de Jogos


Apesar de existir há alguns anos já, a referência mais antiga que encontrei no Google é de 2008, só vim a conhecer a Enciclopédia de Jogos da Mitra na semana passada. Meu noivo estava na Livraria Cultura procurando por um presente de Natal para mim, quando se deparou com uma estante cheia de jogos em caixas de madeira com formato semelhante ao de um livro e aparência artesanal. Na hora, ele me mandou uma mensagem com o site da empresa para que eu pudesse ver. O site deles é muito bonito e traz muitas informações sobre os jogos. Aconselho dar uma olhada no catálogo que fica na seção Mitra na Mídia.

A ideia da Enciclopédia de Jogos pelo que pude perceber é apresentar jogos clássicos de todo mundo desde os mais antigos até os atuais. Os tabuleiros são feitos de MDF e dobram ao meio com espaço na lateral para armazenar as peças e um fecho que facilita o armazenamento não deixando as peças caírem ou o tabuleiro abrir por acidente. Além disso vem uma luva  em papel kraft para proteger a caixa/tabuleiro, o nome do jogo vem escrito na lombada como em um livro mesmo e o manual que apresenta a história e regras do jogo de maneira mais detalhada é em papel reciclado. A Mitra é uma empresa de criação de jogos com enfoque educativo, então nada mais coerente.O trabalho de arte tanto da capa como do tabuleiro também é bem bacana, com desenhos e pinturas muito bonitos. O legal é que mostra que é possível fazer um produto ecologicamente correto com qualidade e atraente esteticamente.

Acabamos decidindo por trocar jogos da Mitra de presente de Natal. O problema foi quais jogos escolher em meio a tantas opções. A Enciclopédia de Jogos é atualmente composta de 35 jogos. Digo atualmente, porque novos jogos vão sendo acrescentados. No texto de 2008 que citei falava-se em 17 jogos. Não sei se na Livraria Cultura tinha todos os jogos da coleção, mas a maioria estava disponível lá.

Meu noivo escolheu rapidamente o que ele queria - Go. Acho que depois de XadrezDamas e Gammon é o jogo mais conhecido da Enciclopédia. Eu fiquei perdida lendo a contracapa que traz um resumo da história do jogo e das regras, além de uma foto ilustrativa. Tantas opções, uma mais interessante que a outro. Acabei escolhendo Oware e Hnefatafl, pois me pareceram os mais interessantes historicamente.


O Go ainda não jogamos, achei o mais difícil dos três. Dei uma lida nas regras, mas ainda não tive coragem de encarar o tabuleiro, estou tentando me acostumar jogando no IOS. Já consigo saber onde o oponente vai jogar as pedras dele, só não consigo acertar onde jogar as minhas. lol

O primeiro que jogamos foi o Hnefatafl, um antigo jogo Nórdico, cujo nome significa "rei do conselho". Antes da introdução do Xadrez nos séculos XI e XII, os Escandinavos estimulavam seus raciocínios estratégicos com um jogo conhecido como Tafl que no idioma Nórdico antigo significa "mesa" e, até o final do séc XII era usado para chamar uma grande variedade de jogos de tabuleiro.


Esse jogo me pareceu uma espécie de Xadrez simplificado, porém esteticamente mais atraente. Nele, nós temos o Rei e seus defensores posicionados no centro do tabuleiro; nas laterais temos os mercenários cujo objetivo é capturar o Rei. As peças se movimentos em linha reta como a Torre no Xadrez. Uma peça é capturada se for cercada por dois lados. Porém, o Rei só é capturado se for cercado por todos os lados. Esse é claro o objetivo dos mercenários. O objetivo do jogador que controla o Rei e seus defensores é chegar em um dos quatro refúgios localizados nas quatro extremidades do tabuleiro. Nenhuma peça pode ocupar esses locais além do Rei.

Jogamos duas vezes, uma vez de cada lado. Em ambas as vezes a vitória foi do Rei, o que nos deu a impressão de uma certa desigualdade. Jogar com o Rei parece ser sempre mais fácil, porém acho mais provável que a gente que ainda não tenha pego o jeito do jogo direito.

Logo em seguida veio Oware, jogo com mais de 7000 anos de história, que teve origem no continente africano. Existem mais de 200 variações e nomes diferentes de Mancala (nome dado a essa família de jogos). Na própria Enciclopédia de Jogos encontramos outras versões - Bao e Onweso. Oware é uma das versões mais populares. O manual veio com 3 regras diferentes. Só joguei pela primeira regra que é a utilizada em campeonatos e competições internacionais - Abapa.


O jogo é bem simples e muito divertido, porém o manual me deixou um pouco confusa. Mas a própria Mitra tem um vídeo explicativo ótimo. O tabuleiro é composto por 12 cavas, sendo metade para cada jogador. Cada cava começa com quatro sementes. O jogador inicial vai recolher as sementes de qualquer uma de suas cavas e distribuir uma a uma nas cavas subsequentes, acabando as cavas do seu terreno continua no terreno do oponente. Essa é a semeadura. Cada jogador vai fazer isso até que ocorra condição para colheita, que é quando se faz os pontos. A colheita ocorre quando ao depositar a última semente no campo do oponente a cava fica com um número de duas ou três sementes. Se acontecer de cavas anteriores formarem dois ou três em sequência até a última semente, a colheita poderá ser realizada nessas cavas também. O jogo termina quando o primeiro fizer 25 pontos.
 
Acho que ficou bem claro ao longo do meu texto que virei fã do trabalho da Mitra e com certeza pretendo comprar outros jogos deles. Os preços dos jogos são bem tranquilos, o Go que é o mais caro não chega nem a R$100, os demais estão numa faixa de R$50, um pouco mais ou menos. Não sei se vou conseguir completar a coleção, como eu já disse anteriormente ela vai crescendo, mas tentarei comprar os jogos mais antigos e clássicos, tipo Senet ou Jarmo, que também tem histórias muito interessantes. Espero poder escrever bastante sobre os jogos da Mitra aqui no blog.

3 comentários:

  1. Adorei essa publicação Aline!
    Achei essa coleção de jogos sensacional, e não conhecia o trabalho da Mitra.
    Me interessei bastante em adquirir alguns desses jogos também.
    Será que um dia podemos esperar o lançamento do Cyvasse também? rs
    Parabéns pelo excelente trabalho no blog, estou curtindo bastante as suas postagens,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que esteja gostando do blog e em especial dessa postagem. Acho que em breve veremos o Cyvasse por aí, mas dúvido muito que seja pela Mitra. Os direitos de GoT são da Fantasy Flight e quem está lançando os produtos deles por aqui é Galápagos. Acredito que quando o jogo começar a aparecer na série, eles devem lançá-lo. Engraçado que ele já tem até entrada no Boardgamegeek. Mas seria muito legal ver o Cyvasse nesse estilo da Mitra, combina muito.

      Excluir
  2. Bom Aline, vamos ver se agora vai? Estive em Floripa este mês, hospedado no Hotel SESC Cacupé e lá me deparei, em seu Centro Multiuso, com uma sala chamada Jogos de Todo Mundo. Mobiliada com mesinhas e banquinhos de madeira, continha, acredito, todos os jogos da enciclopédia de jogos da Mitra, além dos seus jogos de desafio e outros jogos clássicos, como o Cidade Medieval. Chegando em casa (sou de São José do Rio Preto-SP) entrei em contato com a Mitra solicitando seu catálogo e fui muito bem atendido. Dos jogos citados por você, o Go comecei a jogar a pouco tempo (tanto em tabuleiro como via Android). Um clássico mundial. O Hnefatafl já o conhecia como Jogo do Rei. Um ótimo jogo de estratégia. Os jogos tipo Mancala nunca joguei, apesar de conhecer sua histórias.
    Como disse no Facebook, recomendo fortemente o Bhaga Chal. Um jogo muito estratégico e divertido, com tigres e cabras. Vocês não se arrependerão.
    Visitem gameboarderexperience.blogspot.com.br e deixem seus comentários. Abraços.

    ResponderExcluir